Por que não ter conteúdo faz tanto sucesso?

Este é daqueles tipos de assunto que sempre terá alguém para reclamar ou criticar sem nem ao menos adicionar um ponto de vista diferente à discussão. Meu objetivo com esse texto não é o de dar um veredito final ao assunto, muito menos te convencer que estou certo, mas sim, de expor o meu ponto de vista, meu lado da história e, esperançosamente, ouvir a opinião de vocês. Sem mais delongas, vamos ao ponto: Por que o esforço, trabalho duro, dedicação e talento muitas vezes passam despercebidos em nosso meio sem ao menos terem reconhecimento e algo, por exemplo, como uma música de funk cantada por um menino de 12-13 anos , exaltando bunda, peito, rebolada e festa, tem tanto espaço na mídia e gera retornos inimagináveis por tão pouco esforço e talento?
A resposta é simples: Nós gostamos do simples. Gostamos de assistir e ouvir certas coisas só para depois disseminar o absurdo para outras pessoas “Olha só fulano! Olha o que esse menino/a fez, olha o que ele/a ta falando!”. Não nego que fiz e ainda faço coisa do tipo, mesmo sabendo que tal conteúdo não acrescenta nada na vida de ninguém e mesmo sabendo que estou incentivando a aparição de mais dessas assombrações, cada vez mais escrachadas e sujas. O mesmo vale para livros, séries, filmes e até mesmo os protestos sem objetivo claro (que viraram moda no Brasil). Para exemplificar, bastam apenas 2 passos; pergunte-se: Quantas pessoas você conhece que já leram o polêmico “50 tons de cinza”?, agora, reformule a pergunta:  Quantas delas já leram algum livro sobre política? sobre filosofia? sobre questões sociais? Meu objetivo deve se esclarecer trivialmente, a resposta, claro, é no máximo muito baixa; e o resultado reflete o que venho tentando dizer até agora: O conteúdo sem-conteúdo é muito mais interessante do que um outro que requer tempo e dedicação para começar a entender seu significado. Claro, uma boa faculdade e um bom curso superior obviamente vão te levar à algum lugar e, infelizmente, ser um personagem midiático de circo que entretêm a população quase que desesperadamente também te leva, mas te leva numa Mercedes.
Sempre vejo, no meu próprio nicho da área de engenharia, pessoas depois de anos e anos de trabalho duro, cansativo, desmotivador e difícil aceitando trabalhos que são um insulto a toda sua dedição, pelo simples motivo de ser a ÚNICA saída, tendo em vista a dificuldade de encontrar emprego que faça jus a todo o sofrimento passado. Enquanto isso, a mulher que se injeta que com um hidrogel e um cara que só quer que o monstro venha ganham rios de dinheiro com publicidade por simplesmente serem o ápice do culto ao nada. Meu sensor de injustiça sobe, sobe e explode o medidor. Depois, volta ao 0, pois percebo minha impotência perante o tanto de dinheiro gerado por todas as futilidades. Me resta só aceitar, expor minha opinião e ser apenas mais um frustrado.
Após ler todo este texto, sabe o que vai mudar? Nada. Disse que meu objetivo era simplesmente expor minha opinião sobre o assunto e ficarei muito feliz se consegui fazer com que ao menos uma pessoa entendesse o meu ponto de vista. Toda crítica é bem-vinda, e, se quiser, eu gostaria de também saber o seu ponto de vista!
Bjunda.

Anúncios