O que te motiva?

Trabalho, tarefas, provas, testes, afazeres da casa, contas a se pagar, dívidas a quitar, aquele obstáculo ou pessoa que sempre te impede de cumprir os objetivos com facilidade, prazos, imprevistos, trânsito e o tempo te empurrando incessável e incansávelmente até o dia que não conseguirá mais acompanhar seu passo. Com todos estes pontos, todos estes empecilhos e estresses (muitas vezes indesejados) que encaramos dia após dia, o que realmente nos mantém nos trilhos? Família? Amigos? Dever? Rotina? Ou será isso simplesmente nossa programação natural, pré-programada em nosso DNA e reforçada ao longo de anos de criação?
Se você sente prazer em realizar todas as tarefas de todos os seus dias, sinto muito, não escrevi este texto direcionado a você. Você não precisa ler o que está aqui contido pois já achou seu propósito na vida e provavelmente, algum bom motivo para trilhar seu caminho; aconselho que pare por aqui e vá fazer algo de mais produtivo com seu tempo. Me direciono àqueles que alguma vez já se perguntaram o porque de continuar fazendo o que fazem sendo que, muitas vezes, os obstáculos parecem muito grandes, as condições muito adversas, as tarefas muito irritantes. Por fim, àqueles que esporadicamente desejam jogar tudo para o alto e, desculpe a expressão, “que se foda”.
Antes de tudo, acho que preciso considerar os objetivos maiores por trás do porquê se sujeitar a tais desaforos. Prover para sua família talvez seja a melhor e mais aceitável justificativa de todas. Por mais que eu não tenha a idéia de como é essa sensação, tenho certeza que me sujeitaria as tarefas mais humilhantes da terra para simplesmente poder provê-los com o melhor que posso. A segunda, mas não menos importante, creio que seja a vontade se tornar alguém. Não foram poucas as vezes que me senti inspirado por histórias de professores ou colegas que batalharam muito para chegar aonde estão e tenho certeza que você já sentiu o mesmo. Se 5, 10, 15 anos de esforço árduo são necessários para ser alguém respeitado na área desejada, o sacrifício merece reconhecimento e respeito, pois é um dos mais nobres de todos.
Por mais que as dificuldades lhe tenham feito visita diversas vezes e as dúvidas do porquê continuar foram/são parceiras constantes do seu trajeto (qualquer que seja o destino) e você continuou a perseverar apesar dos motivos para desistir, parabéns. Você tem o meu mais sincero respeito e admiração; sei que terminar algo começado é uma qualidade extremamente valiosa na sociedade imediatista de hoje e achar uma motivação mais forte que as desavenças é sim um trabalho árduo.
Todavia, eu não gostaria de viver num mundo aonde tudo viesse fácil, aonde todos soubessem exatamente o que gostariam de fazer e tudo corresse com fluidez. Utopias me parecem extremamente monótonas, sob a minha concepção, a real graça da vida está nessas pequenas imperfeições que nos circulam como uma constante, sempre lá para proporcionar o imprevisto, sempre lá para nos surpreender. Se tudo sempre desse certo, o sentimento de realização e de finalmente chegar ao que se deseja depois de muito trabalho e dedicação, não existiria. Para mim, esse sentimento é uma das motivações mais fortes para continuar fazendo o que faço e não abriria mão de almejá-lo por obstáculo nenhum.

Anúncios